quarta-feira, 3 de julho de 2013

Marco Feliciano comemora no Twitter retirada do projeto de tratamento de gays por psicólogos

Marco Feliciano TwitterNo início da noite de ontem (2 de junho), o primeiro post do pastor foi em agradecimento ao colega parlamentar: “Parabéns a decisão tomada pelo @depjoaocampos em retirar o PDC 234 de tramitação. O PSDB seu partido inviabilizou qdo notificou ser contra”. Em seguida, ele completou: “Entendeu ele q os ativistas, a mídia e alguns partidos invisíveis usariam o PDC 234 para tirar o foco das manifestações verdadeira”. E finalizou: “o PDC não foi ARQUIVADO, mas RETIRADO, e pode voltar. E voltará na próxima legislatura quando teremos 1 número maior de deputados evangélicos”, explicou Feliciano.
No quarto tweet, ele fala que toda essa atenção dada para o projeto acabou fortalecendo os cristãos: “Essa perseguição de parte da midia e dos ativistas nos FORTALECEU e Nosso povo acordou. Nos aguarde em 2015! Viremos com força dobrada”.

O religioso fala, nos próximos textos, sobre a articulação do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) que queria levar a questão ao plenário para rejeitá-la: “Queriam fazer um circo aqui no plenário, o PSOL e ativistas estão tristonhos agora. Não haverá festa! Rsss [...] Não seremos usados Pra desviar a atenção das precárias situações do país! Sempre soubemos q perderíamos nas comissões por sermos poucos”.
No início desta semana, o líder do PSOL, deputado Ivan Valente (SP), deixou clara sua intenção de levar a proposta diretamente à votação em plenário para que ela seja derrubada, sem precisar passar antes pela análise de outras comissões (Seguridade Social e Família (CSSF) e Constituição e Justiça (CCJ)): “Vamos derrotar politicamente esse projeto. Ao invés de deixar essa questão cozinhando”, disse ele.
No microblog, Feliciano ainda agradeceu o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN): “Presidente Deputado @HenriqueEAlves quero agradecer pelo gesto com a Frente Parlamentar Evangélica. Suas palavras revelam pq é o presidente!”.
E reforçou a necessidade de estender a representação evangélica no Congresso: “Lutaremos Pra crescer nossa Frente Parlamentar Evangélica, e vamos conseguir! 30% 50% 100% quem sabe? E aí votaremos o PDC 234 e aprovaremos”.
Decreto legislativo 234/2011: autorização para psicólogos tratar pacientes homossexuais
De autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), o projeto de decreto legislativo, que ficou conhecido como ‘cura gay’, pedia a extinção de dois trechos de uma resolução de 1999 do Conselho Federal de Psicologia. O primeiro diz que “os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades”.
O segundo dispositivo que o projeto pretendia eliminar era o seguinte: “os psicólogos não se pronunciarão, nem participarão de pronunciamentos públicos, nos meios de comunicação de massa, de modo a reforçar os preconceitos sociais existentes em relação aos homossexuais como portadores de qualquer desordem psíquica”.
Um decretro legislativo vincula matéria de competência do Congresso Nacional (Câmara e Senado), sem interferência do Presidente da República. Seu procedimento é tratado como norma interna.